Lysander Spooner, anarquista ou libertário? Fascículo 16


O voto secreto, pela prisma de Spooner – cuja época ouriçava de massacres e toda a violência da Guerra da Secessão e da ocupação militar  – não se impressionou com o voto inverificável que as forças da ocupação chamavam de “voto secreto”.

X

         Transparece então, nos princípios gerais de direito e razão, que não existe tal coisa como um governo criado por, ou com base em, qualquer consentimento, compacto, ou convenção de “o povo dos Estados Unidos” entre si; que o único governo visível, tangível, responsável que existe, é de poucos indivíduos apenas, que agem em harmonia, e se chamam pelos vários nomes de senadores, representantes, presidentes, juízes, marechais, tesoureiros, fiscais, generais, coronéis, capitães, etc., etc.

Com base em princípios gerais de direito e razão, não é de importância nenhuma que estes poucos indivíduos professam ser os agentes e representantes do “povo dos Estados Unidos”; uma vez que são incapazes de apresentar credenciamento emitido pelo próprio povo; jamais foram designamos agentes ou representantes de maneira aberta e autêntica; nem sabem eles, ou têm como saber, bem como não sabem provar quais os seus principais (como assim os chamam) enquanto indivíduos; não podendo, por conseguinte, no direito e na razão, dizer que têm quaisquer principais.

É evidente também que, se esses alegados principais acaso designaram estes pretensos agentes ou representantes, os nomearam às ocultas (por voto secreto), e de tal maneira a se esquivar de toda responsabilidade pessoal pelos seus atos; que, quando muito, estes pretensos principais prepuseram esses pretensos agentes para as finalidades mais criminais, viz.: saquear a propriedade do povo, e restringir-lhe a liberdade; e que a única autoridade que esses pretensos principais detêm para agir assim não passa de um entendimento tácito entre eles, de prender, fuzilar ou enforcar todo e qualquer homem que resistir às extorsões e restrições que seus agentes ou representantes lhe impuserem.

É evidente então que o único governo visível e tangível que temos é composto desses pretensos agentes ou representantes de um bando secreto de assaltantes e assassinos que, para encobertar ou atenuar os seus assaltos e assassinatos, apropriaram-se do título de “o povo dos Estados Unidos”; e que, sob a pretensão de serem eles “o povo dos Estados Unidos”, proclamam seu direito de sujeitar ao seu domínio e de controlar e dispor, a seu bel-prazer, sobre toda propriedade e todo ser humano existente nos Estados Unidos.

Continua…

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s