Suppose they gave a war…

suffrage1909Suppose they gave a war on women’s rights and nobody came? The Republican party is trying to stage the experiment. Their platform shrieks for 6% of its 36,000-word platform in carpet-biting rage against pregnant women having the same rights as all other individuals.  Since neither Kleptocracy candidate sees fit to point to its own platform, a few samples from the 2016 GOP platform may illustrate the point. 

We support a human life amendment to the Constitution and legislation to make clear that the Fourteenth Amendment’s protections apply to children before birth.”

The Amendment guarantees rights for “All Persons born…” not “All Ova fertilized…” To them, that’s a problem.

We will not fund or subsidize healthcare that includes abortion coverage.

population1924

Overpopulation, starvation, war… this is good?

But they have no problem with licensing, subsidizing and protecting doctors who prostitute the medical profession to give the patina of science to prohibitionist ravings, while pushing the cost of medical care out of everyone’s reach. Birth control is both a survival and a law-and-order issue. Forcing women to carry unwanted pregnancies to completion results in a new crime wave nearly two decades after the prohibition. Repealing abortion laws entirely, as in Canada, results in a drop in actual crime with victims in a similar timeframe (to say nothing of the connection between overpopulation and starvation). Then there is good old coercive prohibitionist asset forfeiture:

In order to encourage women who face an unplanned pregnancy to choose life, we support legislation that requires financial responsibility for the child be equally borne by both the mother and father upon conception until the child reaches adulthood.

In other words God’s Own Prohibitionists want to use the violence of law to force women to reproduce to suit mystical fanatics. But that’s OK because they also want to force careless men (or underage boys) to pay child support or go to jail, even if neither biological parent wants to become a parent.

moral1901lectureRepublicans have the chutzpah to talk of women fleeing abuse, and friends, there really is such a thing. Women are rallying to the banner of a female candidate not at all interested in coercing them to please coercive brutes. Bookies over at Paddypower are charging 6 to 1 odds of people voting for the Dems, and laying nearly similar odds that The Antichoice will continue to lose as itstopamnesty did in 2000 (but stole the election by vote fraud), 2008, and 2012. The abuse women voters are fleeing is clearly abuse at the hands of ignorant bigots WITHIN THESE STATES, as in 1932. Foreigners are also singled out for abuse, and any cities whose police refuse to join the witchhunt are branded Enemies of the Republican Staat! What kind of party advertises with images of barbed-wire fences for confining humans? 

It is true that aside from “letting” women have rights guaranteed by the Constitution and repeatedly upheld by Kleptocracy Courts, the Dems are simply another looter prohibitionist party that wants kids shot or jailed by militarized police over hemp seeds. Both Kleptocracy parties also vow to continue to use asset-forfeiture extortion, treat foreigners like criminals, meddle with deadly force in mystical tribal conflicts on the other side of the planet and use the communist manifesto income tax to further impoverish Americans at gunpoint. The difference between those two political parties is one of degree, not kind, and is only perceptibly significant on that one issue. The GO-Pee still have the support of the Wizened Christian Totalitarian Union, but that’s about it as far as women are concerned…

No thanks, “both” Kleptocracy parties. I’ll stick with the LP.org and accept no substitutsky!

 

 

Advertisements

GOP & Dem platforms: continue asset forfeiture

2011wsjforfeitures

2011 DemoGOP forfeitures

Asset forfeiture is armed robbery by police and federal agents. This program was the primary cause of the Crash of 2007 because such looting invariably causes economic depression. These takings were the primary cause of the 1929 Crash and Banking Panics of the Great Depression, as well as the 1987 crash and ensuing Depression. Here are the 2016 asset-forfeiture planks of main political parties.

Republican Platform on Asset Forfeiture: Civil asset forfeiture was originally intended as a way to cripple organized crime through the seizure of property used in a criminal enterprise. Regrettably, it has become a tool for unscrupulous law enforcement officials, acting without due process, to profit by destroying the livelihood of innocent individuals, many of whom never recover the lawful assets taken from them. When the rights of the innocent can be so easily violated, no one’s rights are safe. We call on Congress and state legislatures to enact reforms to protect law-abiding citizens against abusive asset forfeiture tactics.

Democratic Platform on Asset Forfeiture: And we will reform the civil asset forfeiture system to protect people and remove perverse incentives for law enforcement to “police for a profit.”

Libertarian Platform on Asset Forfeiture: Eminent domain, civil asset forfeiture, governmental limits on profits, governmental production mandates, and governmental controls on prices of goods and services (including wages, rents, and interest) are abridgements of such fundamental rights.

BOTH looter parties clearly intend to keep allowing the armed robbery of individuals by police under color of law. They merely cluck their intentions to rob less brutally in the future. Neither party admits the crucial role of such confiscations and takings in precipitating major financial disasters costing trillions of dollars. Only the Libertarian Party of Principle seeks to stop police from acting in the capacity of burglars, robbers and highwaymen–and destroying the national economy in their misguided zeal.

Ayn Rand witnessed the Crash and Depression and later wrote: “But when a society establishes criminals-by-right and looters-by-law—-men who use force to seize the wealth of disarmed victims—-then money becomes its creators’ avenger. Such looters believe it safe to rob defenseless men, once they’ve passed a law to disarm them. But their loot becomes the magnet for other looters, who get it from them as they got it. Then the race goes, not to the ablest at production, but to those most ruthless at brutality. When force is the standard, the murderer wins over the pickpocket. And then that society vanishes, in a spread of ruins and slaughter.” Milton Friedman also witnessed the disaster and in Free To Choose noted that the Socialist platform of 1928 became law, despite their getting almost no votes.

Just today an elderly Brazilian couple in their seventies unable to speak English wrote to ask for bank statement translations, why? Because US Customs agents stole their life savings under civil asset forfeiture and they must now prove themselves innocent by deadline after deadline, for the looters allow no appeal rights. If they miss a deadline they lose their life savings. I referred them to the Institute for Justice.

By voting libertarian I am proudly multiplying the power of my vote to repeal bad laws and protect individual rights. Why not join me for a change?

Golpe e Embaixada

Pouca gente reparou no que Roberto Requião do Paraná disse sobre os motivos do golpe que derrubou Dilma. Ele perguntou:

Por que cargas d’água estão pedindo o impedimento da Presidente? Será que é para atender às embaixadas dos grandes países, o interesse da banca e a miserável fisiologia que domina o Congresso Nacional?

Vejamos o cronograma:

  1. Em 2005 a agente americana Liliana Ayalde foi expulsa da Bolívia por espionagem.
  2. Em maio de 2010 Bradley Manning vaza no Wikileaks informações sobre como os americanos usam a ONU para exportar o mesmo proibicionismo saqueador de ativos que demoliu a economia americana em 2007.
  3. Em 31 de outubro de 2010 a presidenta Dilma foi eleita, com posse em 2011.
  4. Em junho de 2012 o presidente Fernando Lugo do Paraguai foi deposto por impeachment.
  5. Em 20 de maio de 2013 Edward Snowden revela que espiões americanos escutam as chamadas telefônicas dos cartolas e políticos brasileiros, entre outros.
  6. Em junho de 2013 eclodiram as manifestações americanizadas no Brasil.
  7. Em 1º de agosto de 2013, Dilma assinou a Lei 12485 que inclui profilaxia contra gravidez e perícia de DNA para identificar estupradores ou pais biológicos–mesmo se importantes e abastados–donos de trustes ou contas bancárias na Suíça.
  8. Nesse mesmo dia 1º de agosto de 2013 o senado do grande país americano, dominado pelo partido republicano evangélico e antiaborto, confirmou Liliana Ayalde como embaixadora dos EUA para o Brasil!
  9. Ayalde chegou ao Brasil no dia 16 de setembro de 2013, mas apesar dessa Exterminadora, a presidenta derrotou o Aécio Helipóptero, amiguinho do ex-diretor da CIA, George Bush pai, e foi reeleita.
  10. A Portaria 415 implementando as proteções tipo profilaxia contra gravidez e perícia de DNA foi aprovada 21 de maio de 2014. Como nos EUA, os fanáticos enlouqueceram…
  11. A Portaria 415 foi revogada a mando do Eduardo Cunha em 28 maio de 2014! Em 4 dias o Bispo do Nacional Socialismo arrastou o Brasil de volta à Idade das Trevas, para acompanhar as ditaduras maometanas–antes de ser expulso do Congresso.
  12. Consta que Ayalde foi embora com o golpe em andamento, mas voltou, quiçá para tentar salvar o Cunha.
  13. Em 29 de agosto Roberto requião discursa: “Esta crise que nós vivemos não é uma crise só do Brasil. Ela começa na Europa, com a reação do Estado social que surge contra o nazismo. Estado social do direito das mulheres, dos trabalhadores.”
  14. A presidenta eleita por maioria em 3 eleições foi golpeada em 30 de agosto de 2016 pelos aliados do Cunha.

cunhaPois é… Vai que foi tudo coincidência.

Faraway Targets

 

mylai

Irish bookies are betting 2.2 to 1 the Republican Party loses this election, as it has lost all other elections since the Bush Asset-Forfeiture Crash and Depression. This is one of the two parties that bombed civilians in places like Vietnam, Laos, Cambodia, Afghanistan, Iraq and Syria, including Aleppo.

The Libertarian Party is proud to our support for peace and non-aggression, and we do not hang stuffed trophy heads of Semitic or Asian victims on the walls or carve celebratory notches into weapons. The USA was not a Christian National Socialist nation until the Eisenhower-Nixon Administration and Congress violated the First Amendment to mystify our currency, postal monopoly stamps, the Bellamy Pledge of Allegiance and government buildings, imitating the example set by Germany’s Third Reich.

This reversed 1797 treaty assurances given to Mohammedan nations that the US was NOT a religious State. That transformation also frightened the Soviet communist religious dictatorship (yes, communism is a religion) with the notion that Christian National Socialism had again taken over These States as during the Herbert Hoover Administration, which subsidized the rise of the NSDAP in Germany through the Moratorium on war debts and reparations in 1931.

Today we see daily reminders that that religious dictatorships on the other side of the planet, much like what is proposed in the GOP platform despite Supreme Court rulings and the urgings of nonfanatical clergy and lay associations, are museums of medieval superstition, torture, assassination, genocide, prohibitionism, financial collapse and war.

We want no part of the Crusades versus Jihad mentality that motivates God’s Own Prohibitionists and the Islamic State alike, and we are happy to recommend innocuous desuetude and avoid all entanglements there.

Need a translator?

Partido Libertário dos EUA 2016 –4–Conclusão

yallertorch16

Español no LP.org

Seção 4, página 7. Esta é a conclusão do programa de 2016 do Libertarian Party, EUA. Se cometi erro na tradução, faça um comentário. Eu votei assim nas últimas 13 eleições no Texas e já ganhamos 3% do voto popular em 2014. 

3.6 Governo representativo

Apoiamos os sistemas eleitorais que melhor representam o eleitorado em nível federal, estadual e local. Na qualidade de associações particulares e voluntárias, cabe aos partidos políticos estabelecerem livremente regras próprias para os seus processos de nomeação, sua eleições primárias e sua convenções. Queremos acabar com os subsídios, com dinheiro público arrecadado mediante impostos, a candidatos ou partidos, e revogar as leis que coíbem o financiamento voluntário das campanhas eleitorais. Somos contrários às leis que atrapalham os partidos e candidatos alternativos, que os excluem da cédula, que distorcem os contornos dos seus distritos ou negam aos eleitores o direito de considerar as alternativas legítimas. Defendemos a iniciativa popular, os referendos e a cassação e revogação democráticas como limitações populares dos poderes dos governos.

3.7 Da autodeterminação

Sempre que alguma forma de governo se tornar destruidora da liberdade individual, é direito do povo alterá-la ou aboli-la e concordar com a nova governança que ao povo pareça ser a mais adequada para assegurar a sua liberdade.

 

4.0 Omissões

Nosso silêncio sobre determinada lei, governo, regulamento, portaria, instrução, decreto, norma, órgão regulamentar, atividade ou maquinação não deve ser interpretado como sinal de aprovação.

FIM.

Tradução gratuita de  jhpdotcom Volunteers of America.

Basta você votar com integridade naquilo que você acredita (desde que os juízes apadrinhados permitam) para mudar as leis, e elas mudam

A Plataforma 2016 do Libertarian Party é isso ái em sete folhas. Esse programa gasta menos de 3000 palavras (20 minutos para ler, e pretendemos gravar em mp3). Os partidos fósseis da Kleptocracia entrincheirada produziram programas de 50 páginas cada com bem mais de 10 vezes esse número de palavras, prometendo invadir, enjaular, proibir, bedelhar, matar, cobrar imposto… 

Partido Libertário dos EUA 2016 –3b

yallertorch16

Espanhol no LP.org

Seção 3, páginas 6-7.

3.4 Do livre comércio e da migração

Preconizamos a remoção dos obstáculos governamentais ao livre comércio. A liberdade política e o livramento da tirania requerem que as pessoas não sofram restrições arbitrárias pelas mãos dos governos na travessia de fronteiras políticas. A liberdade econômica exige o movimento irrestrito das pessoas humanas e do capital financeiro através das fronteiras nacionais. No entanto, apoiamos o controle da entrada, no nosso país, de estrangeiros que realmente apresentam alguma ameaça à segurança, à saúde ou à propriedade.

3.5 Dos direitos e da discriminação

Nós libertários defendemos o conceito de que as pessoas nascem com certos direitos inerentes. Não aceitamos a ideia de que um direito natural pode impor uma obrigação aos outros para cumprir esse “direito”. Condenamos o preconceito como irracional e repugnante. Nenhum governo deve negar ou cercear o direito de pessoa alguma com base no seu sexo, riqueza, etnia, credo, idade, origem nacional, hábitos pessoais, preferência política ou orientação sexual. Os membros de organizações privadas preservam o direito de definir os requisitos de associação que considerarem adequados, reservada a todos a liberdade de reagir com ostracismo, boicotes e os demais remédios inerentes ao mercado livre.

Basta você votar com integridade naquilo que você acredita (desde que os juízes apadrinhados permitam) para mudar as leis, e elas mudam

A Plataforma 2016 do Libertarian Party vai concluir com a Parte 4–Governo representativo e autodeterminação… Não perca! Esse plataforma possui menos de 3000 palavras (20 minutos para ler) em 8 folhas. Os partidos fósseis da Kleptocracia entrincheirada produziram programas de 50 páginas cada com bem mais de 10 vezes esse número de palavras. 

Sou intérprete nos tribunais da migra e tradutor certified de documentos jurídicos para os EUA e Canadá.

Partido Libertário dos EUA 2016 –3a

yallertorch16

Espanhol no LP.org

Seção 3, página 6.

3.0 Da proteção da liberdade

A proteção dos direitos individuais é a única função própria dos governos. Os governos são constitucionalmente limitados justamente para prevenir o cerceamento dos direitos individuais. O princípio da não-agressão deve nortear as relações entre governos.**

3.1 Da defesa nacional

Apoiamos a manutenção de forças militares suficientes para defender os Estados Unidos contra a agressão. Os Estados Unidos devem evitar de se enrascar em alianças, e abandonar a prática de tentar policiar o planeta. Somos contrários a toda espécie de serviço nacional compulsório.

3.2 Segurança interna e direitos individuais

A defesa do país exige que tenhamos inteligência o suficiente para detectar e ir de encontro às ameaças à segurança interna. Este requisito não pode ser priorizado acima da defesa das liberdades civis dos cidadãos. Será vedada a suspensão da constituição ou da declaração de direitos, mesmo em tempos de guerra. As agências de inteligência legitimamente encarregadas de preservar a segurança da nação devem ser sujeitas à supervisão e transparência. Somos contrários ao uso pelo governo das classificações em graus de sigilo para bloquear do público o acesso às informações que lhe cabe, sobretudo as provas de que o próprio governo tenha incorrido na lei.

3.3 Assuntos internacionais

A política externa dos EUA deve assegurar que os EUA estejam em paz com o mundo. A nossa política externa primará pela defesa contra eventuais atentados oriundos do exterior, de forma a aumentar as chances da paz evitando as intrigas alheias. Acabaríamos com a atual política intervencionista do governo americano, inclusive toda a ajuda militar e econômica no estrangeiro. Reconhecemos o direito universal de resistir à tirania, da legítima defesa e da preservação dos direitos de cada pessoa. Condenamos o uso da força — e sobretudo do terrorismo — contra os inocentes, independentemente de tais atos serem cometidos por governos ou por grupos políticos ou revolucionários.

** O Princípio da Não Agressão, termo que eu assino para pagar o anuário como membro do partido libertário e para fazer toda e qualquer doação, diz: “Eu me recuso a lançar mão da coação e não defendo iniciar a agressão com intuito político ou social.” Este princípio, o cerne do partido, foi elaborado pela escritora russa-americana Ayn Rand em 1947, enquanto Nacional Socialistas alemães eram enforcados por genocídio em Nuremberg. O eleitor que quer votar pelo nosso partido não precisa de assinar esse ou nenhum outro termo de adesão. Basta você votar com integridade no que você acredita para mudar as leis, e elas mudam

A Plataforma do Libertarian Party vai continuar com a Parte 3b–Imigração, direitos e discriminação, governo representativo, autodeterminação… Não perca!